Como planejar os custos da pré-campanha

Feb 08, 2022

As versões de ter ganhado uma eleição sem gastar um centavo, ou 10, 20 mil reais apenas, é dita por quem não tem a habilidade de ser organizado financeiramente e, saber separar o joio do trigo.

Uma pré-campanha tem seus custos desde uma simples ida a uma reunião previamente marcada com um público específico, até mesmo um almoço para se fechar futuros apoios com lideranças. Houve algum investimento e este deve ser computado, para seu controle, pois não há obrigatoriedade na Lei Eleitoral de se prestar contas de pré-campanha.

Posteriormente a isso, e dependendo do cargo, você pode investir em consultoria especializada, pesquisa de opinião pública, levantamentos de dados e uma pequena equipe de comunicação, mesmo que sejam com voluntários. Infraestrutura de BackOffice, papelaria, acesso a internet, plataformas digitais para serviços diversos, combustível, alimentação, estadias em pequenas viagens, enfim, são diversos e pequenos investimentos baratos, mas que o candidato desorganizado não se preocupa em relacioná-los. Posteriormente a estrutura para lideranças, mais apoiadores voluntários que devem ter pequenos outros custos, locais para reuniões, uma TV ou telão, um laptop com data show, um bom celular para a equipe de comunicação e muitos outros detalhes que fazem parte de uma pré-campanha simples, mas bem estruturada.

Ao ingressar no período de campanha, a relação de investimentos só aumenta, por isso, organize-se bem e não entre para imaginar que eleição se faz com o pé no chão e um santinho na mão. Essa estratégia é utilizada ainda sim, mas não prospera sozinha. Temos o mundo online e off-line, como explico detalhadamente em meu livro Mapa do Voto 2 – que ainda você consegue comprar um dos últimos exemplares.

CLIQUE AQUI

Mais dicas e notícias, aqui!

CICQUE PARA VER MAIS CONTEÚDOS